Pit Viper 351 at open pit mine Aitik

Aitik - Avançando para automação total

4 de Fevereiro de 2020

Para aumentar a produtividade, a eficiência e a segurança da mina de cobre Aitik, a Boliden seguiu o caminho da automação. A frota de Pit Vipers será controlada remotamente pelos operadores.
Fredrik Lindström, Product Manager Automation at Epiroc at Aitik open pit mine.

Fredrik Lindström, Gerente de produtos de automação da Epiroc

Para 2020, a empresa sueca de mineração Boliden planeja aumentar a cota de produção da mina de cobre a céu aberto Aitik para 45 milhões de toneladas. Para cumprir a cota, a Boliden precisava fortalecer sua frota de Pit Vipers das cinco atuais que estão em operação hoje.

 

A solução tradicional e óbvia seria investir em Pit Vipers adicionais. Ainda assim, a Boliden estava interessada em verificar se utilizar a automação e operar sua frota com Pit Vipers remotos e semiautônomos de linha única poderiam suprir a necessidade. Um motivo para converter em operações remotas e autônomas é a oportunidade de reduzir o tempo de não perfuração, aumentar a utilização e obter produtividade.

 

A Aitik é uma das maiores minas da Europa e é uma operação de cobre líder mundial com um poço enorme, visível do espaço. "Sua profundidade é de 450 metros e uma largura de vários quilômetros, exigindo de 15 a 20 minutos de tempo de condução para que os operadores se desloquem do nível da superfície e para o nível da superfície. Há também uma mina satélite ainda mais distante. Os intervalos para almoço na produção podem durar uma hora", diz Peter Palo, gerente de Projetos da Boliden Aitik.

 

Outro fator levado em consideração é o clima ártico de inverno, com tempestades de neve e frio intenso que reduz a visibilidade, a segurança ao dirigir e as condições do local de trabalho. Tanto a Boliden quanto a Epiroc estavam curiosas para ver se as Pit Vipers automatizadas poderiam lidar com essas condições.

 

A primeira etapa foi realizar um teste com uma das Pit Vipers, convertendo e atualizando a máquina para operação remota. Uma sala de reuniões no prédio do escritório da mina foi convertida em uma sala de controle temporária. A rede de dados sem fio na cava foi atualizada e fortificada para aumentar a cobertura e a largura de banda. Operadores da Boliden foram treinados para operar as Pit Vipers por controle remoto. Os principais indicadores de desempenho geraram resultados positivos e a tecnologia de automação da Pit Viper recebeu feedback positivo dos operadores.

 

"Há muito mais para converter em operações automatizadas do que você imagina. Para aproveitar todas as vantagens da automação, você precisa mudar e melhorar sistematicamente rotinas, adaptando-as aos novos processos. A maior parte do trabalho é fazer com que as pessoas mudem seus hábitos para atingir a meta comum. A Boliden fez um trabalho tremendo, estabelecendo as bases para as mudanças necessárias no processo", afirma Fredrik Lindström, Gerente de Produtos de Automação da Epiroc.

 

A próxima etapa envolveu a conversão das outras quatro Pit Vipers para operação remota e a atualização da primeira Pit Viper para lidar com operações semiautônomas. A autonomia, neste caso, implica que o operador inicie o processo, deixando a Pit Viper perfurar uma linha completa de furos de desmonte por conta própria e se mover de forma autônoma entre os furos de perfuração. Assim que a linha for concluída, o operador se move e prepara a máquina para a próxima linha de furos.

""Algumas vantagens do aumento da automação são que podemos aumentar a taxa de utilização e ser mais econômicos. Além disso, há menos desgaste nas brocas de perfuração, o que afeta positivamente a vida útil dos consumíveis e diminui a manutenção. Obtemos mais consistência na profundidade do furo e na precisão do furo, o que produz melhores resultados de detonação", afirma."

Fredrik Lindström ,Gerente de Produtos de Automação da Epiroc

Comparando a Pit Viper semiautônoma de linha única com uma máquina operada manualmente, sob condições ideais, a Boliden mediu um aumento na utilização de 45 a 50% a 80% e um aumento de 30% na produtividade.

 

"Estamos muito satisfeitos com os resultados, e é por isso que estamos convertendo o restante da frota de Pit Viper em operação remota, como um passo em direção à mais automação", diz Peter Palo.

 

Os operadores lidaram excepcionalmente bem com a transição para operações remotas. A transição para operações remotas pode ser atribuída, em parte, à forma como o sistema de controle de operações no local foi projetado, para imitar os controles integrados da Epiroc Pit Viper, com a mesma configuração.

 

"Estamos operando remotamente há um ano e todos estão felizes. Alguns dos operadores estavam preocupados em aprender a usar a tecnologia, mas isso se estabeleceu rapidamente. Eles gostam de trabalhar juntos em uma sala de controle no prédio do escritório. É um ambiente de trabalho melhor, mais fácil de trocar experiências e socializar", diz Peter Palo, continuando: "Lidar com o clima de inverno também foi fácil, apesar das fortes nevascas e baixas temperaturas por dias a fio. Até mesmo o Sistema de Detecção de Obstáculos a laser operou de forma perfeita durante a queda de neve. Os sistemas automatizados parecem suportar muito bem as condições árticas."

Mineração e pedreiras International Automação Relato de cliente 2020 Perfuratriz para desmonte de rocha