Plataforma de perfuração de poços de água Diamondback: Faz mais do que seu valor em dinheiro"

15 de Setembro de 2020

Epiroc Diamondback DB40 trabalhou bastante em torno da garganta do rio Colúmbia no noroeste do Pacífico, nos Estados Unidos, desde março de 2018.
Plataforma de perfuração de poços de água Epiroc Diamondback DB40
O desenho de torre tubular da DB40 foi a primeira característica a chamar a atenção de Moore. "Esse mastro abre a área de trabalho", disse Moore. Ele gosta do acesso aberto que ele dá para soldar a carcaça. A DB40 pode ser pedida com opção de torre tubular de 34 ou de 38 pés (10,4 m ou 11,58 m). Uma torre de 38 pés permite a instalação de um rompedor de carcaça. A mesa do DB tem diversas opções de abertura de buchas de 10 ¾-, 17- e 24 polegadas. Moore tem a bucha de 17 polegadas na sua DB40, o que lhe permite mudar rapidamente entre a abertura de 17 polegadas e a de 10 ¾- polegadas.
Gabe Moore, terceira geração de operador de poço de água e co-proprietário de M-K Waterwell Drilling Inc. de Dallesport, Washington, disse que assim que viu o Diamondback, prestou pouca atenção em outras plataformas.

Para Moore, o que mais o atraiu foram os recursos para perfurar poços de água a um preço acessível. Poços residenciais perfurados com ferramentas furo abaixo (DTH) na formação de basalto na região do Colúmbia representam 95% das chamadas da M-K.
A Diamondback é cerca de 1.600 libras (726 kg) mais leve do que a plataforma para poços de água configurada de modo similar, a Epiroc TH60. A DB40 da M-K tem 40.000 libras (177,9 kN) de pullback, 10.000 libras de pullback a mais do que a plataforma que tinham anteriormente.

A alimentação da Diamondback viaja a 200 pés (60 m) por minuto, cerca de 40 pés (12,2 m) por minuto mais rápida do que a TH60. A DB40 tem o dobro da capacidade de deslocamento da plataforma anterior, disse Moore.

Em junho de 2018, a M-K estava terminando o seu 13º poço,  não muito tempo após a aprovação e início do trabalho. Eles perfuraram a formação com um rompedor furo abaixo de 6 polegadas, e broca de vídia DTH de 6 polegadas após passar por 10 pés de solo de barro fino.
Moor continuou para o fundo da rocha, injetando 3 a 4 galões de água/min. Ele disse que na maioria das vezes perfura um buraco de 6 polegadas para encontrar o aquífero antes de alargar a parte superior do perfil do poço. "Mas eu já sei muito bem onde está a água aqui. Aqui em cima, eu sei que a encontraremos em algum ponto entre 600 e 800 pés.

Moore encontrou o aquífero a 635 pés. Ele alargou o furo com um alargador para fixar o condutor de 3 pés com 8 polegadas de diâmetro. Ele revestiu o poço até 100 pés, um requisito estadual, com 6 ⅝ polegadas de diâmetro, parede de ¼ de polegada, revestimento de aço em um furo de 8 polegadas perfurado com uma broca de arraste de 8 polegadas. Ele continuou o furo do poço de 6 polegadas até uma profundidade total de 660 pés, produzindo pelo menos 20 GPM. "Este é um bom poço. Normalmente nós tentamos atingir 15 ou mais aqui", ele disse.  "Nós já estivemos a 1.100 pés com esta plataforma, e eu sei que podemos ir ainda mais fundo". disse Moore.

Amostras de detritos vieram macias em alguns lugares. Moore fez a chamada para alinhar este furo com PVC de 4 ½ polegadas para evitar qualquer tipo de desbaste, perfurando o fundo a 40 pés.

 

A taxa pela qual a M-K se desloca com a Diamondback mantém ocupado Coe, o ajudante da M-K. Eles usaram o guindaste resistente, de 18.000 libras para suspender o tubo. A série DB oferece opções de guindastes de 18.000 e de 30.000 libras para a versão de buraco profundo. Com os controles de operador do Diamondback, Moore é capaz tanto de estender a forquilha da mesa no lugar, segurando o furo do tubo, quanto de controlar a chave de fenda hidráulica. Uma vez que a tubulação se solta, o ajudante oscila na tubulação giratória opcional para girar hidraulicamente a tubulação em questão de segundos, economizando tempo e esforço em cada junta. Aproximadamente 700 pés de tubulação foi arrastado em tempo recorde pela M-K. Moore puxou o condutor e selou os 20 pés superiores do invólucro com argila bentonita.

"A Epiroc DB40 faz mais do que seu valor em dinheiro."

Gabe Moore , Co-proprietário da M-K Waterwell Drilling Inc
A tecnologia avançada da plataforma permite que Moore otimize o desempenho da plataforma e as operações de perfuração. O consumo de combustível tem sido uma média entre 23 a 25 GPM nas operações de perfuração, com 3 a 4 galões de DEF por dia.

A Diamondback ajudou a perfuradora M-K a manter sua agenda cheia. "Neste momento, estamos atolados. Temos muito trabalho", diz Moore. A Diamondback ajudou agora a M-K drilling a finalizar 60 poços. Moore está contente com seu desempenho, dizendo, "ela vale mais do que seu valor em dinheiro".

 

Mineração e Escavação de Rochas carreta de perfuração de poços 2020 Poço de água International Soluções em perfuração Epiroc Relato de cliente