14 de Outubro de 2020

Segurança nas montanhas

Na mina de Kirovsk, a extração de matéria-prima contendo fósforo é um trabalho árduo. A Filial de Kirovsk da Apatit JSC enfrenta uma série de desafios, principalmente condições adversas, segurança e eficiência, mas o Simba Teleremote resolve facilmente estes desafios. A função aumentou a eficiência em 20 por cento e o uso de cada equipamento de perfuração em 95 por cento.

A natureza em Kirovsk, uma pequena cidade acima do Círculo Ártico, traz à mente cenas da série de fantasia Game of Thrones . Picos de montanhas cercam a cidade, embora estejam escondidos durante tempestades de neve, e um vento forte força os residentes e visitantes a procurar abrigo.

 

Escolhendo um lugar incomum para abrigo, nos dirigimos para o trabalho subterrâneo da mina de Kirovsk. Um caminhão 4×4 passa por túneis iluminados durante quinze minutos antes de finalmente parar na frente de uma grande máquina.

 

Há quase cem anos, um dos maiores e mais ricos depósitos de minérios apatita-nefelina foi encontrado nas montanhas Khibiny. As matérias-primas contendo fósforo extraídas dessas montanhas são insumos na produção de fertilizantes, que por sua vez são utilizados não apenas na Rússia, mas em mais de cem países em todo o mundo.

Customer story Apatit
Hoje, a Filial de Kirovsk da Apatit JSC (PhosAgro Group) é a maior produtora mundial de concentrado de apatita, matéria-prima de fosfato de alto grau. Juntas, as minas da Apatit produzem 38-39 milhões de toneladas de minério por ano, e a mina de Kirovsk é a maior, produzindo 22 milhões de toneladas. A empresa avançou em cada etapa do processo de automação da produção, desde a perfuração manual até as soluções totalmente automatizadas da Epiroc.

"No passado, nós perfurávamos sem controle remoto usando máquinas diferentes. A qualidade era boa, mas queríamos alcançar a máxima segurança para os operadores de plataformas que trabalham no subterrâneo."

Anton Yarunin ,chefe da mina de Kirovsk

Engenheiro-chefe da filial de Kirovsk, Vyacheslav Onuprienko elabora:

 

"Estamos trabalhando em furos para caixas", diz ele. Quando ele chegou em 2014, a mina usava máquinas de perfuração manual não apenas para perfurar furos verticais, mas também, em parte, para perfuração profunda. Pouco tempo depois, a gerência decidiu mudar para equipamentos mecanizados.

 

“O primeiro equipamento Epiroc Simba foi testado em 2014. Era mais moderno do que máquinas similares de outros fabricantes, com cabines envidraçadas, um alto nível de conforto para trabalho remoto e maior produtividade,” diz Yarunin. Inicialmente, o equipamento foi usado no modo semiautomático. O operador define os ajustes de perfuração para o poço em modo manual e depois deixa o equipamento fazer o trabalho.

 

A Filial de Kirovsk da Apatit JSC implementou a função inteligente da Epiroc, que não requer a presença constante do operador do equipamento. A perfuração é automatizada através da função ABC Total, com capacidades teleremotas habilitadas pelo pacote Simba Automation. Um plano de perfuração digital é instalado em cada equipamento e pode ser carregado remotamente através da opção Rig Remote Access. Isto permitiu que a Apatit JSC movesse seus operadores de equipamentos de baixo do solo para a superfície.

 

“Veja aqui, tudo está visível no diagrama", diz Yevgeny Torsogoyev, subdiretor do local de perfuração, ao mesmo tempo em que se estabelece um mapa especial de perfuração. Ele explica que as únicas pessoas que periodicamente trabalham no subterrâneo com as máquinas são os trabalhadores especiais que conduzem os equipamentos Simba de um anel de detonação (que é a marcação para perfuração e colocação de explosivos em poços) para outro. "Se alguém quiser se aproximar do módulo de perfuração, eles acionam sensores de movimento e o equipamento para. Além disso, existem câmeras de vídeo para que todos nós possamos assistir remotamente."

 

Duas pessoas estão trabalhando em uma sala do operador quente. Na frente deles estão joysticks para controle remoto dos equipamentos Simba, e várias telas mostram o que está acontecendo com as máquinas no subterrâneo. Cada operador controla de quatro a seis equipamentos. Um dos operadores é Igor Kramarenko; ele trabalha na Filial de Kirovsk da Apatit JSC desde 2003. "Trabalhei em todos os equipamentos de perfuração que tínhamos na produção", diz ele, explicando que o trabalho por trás do painel de controle no subterrâneo podia ser fisicamente exigente. “Eu não tinha medo, mas era empoeirado e barulhento. Algumas vezes o equipamento quebrava e era impossível trocar peças no subterrâneo, então os trabalhadores tinham que levar as sondas para a superfície para reparos."

International Escavação de rochas subterrânea Plataformas de perfuração Produção Relato de cliente 2020