Claudio Alvardo

Topo do mundo

15 de Janeiro de 2020

Os especialistas em movimentação de terra da Movitec estão testando uma PowerROC T25 DC nas condições mais desafiadoras que se possa imaginar: estão construindo uma estrada para o observatório mais alto do mundo.

Na visita da Mining & Construction, o trabalho já estava aproximadamente 70% concluído na estrada que deverá ser larga e lisa o suficiente para transportar um espelho sem defeitos, com sete metros de diâmetro, até o topo da montanha Chajnantor, no norte do Chile, mais de 5.600 metros acima do nível do mar.

 

O Tokyo Atacama Observatory, financiado pela Universidade de Tóquio, oferecerá vistas incomparáveis do universo, o que poderia ajudar a determinar sua idade. De acordo com o gerente de contratos Claudio Alvarado, os principais desafios para a equipe de construção de estradas são a falta de oxigênio e as condições climáticas extremas encontradas em altitudes tão elevadas.

 

Doenças por altitude podem causar dores de cabeça, vômitos e, em casos extremos, edemas pulmonares potencialmente fatais. Na montanha, mesmo um breve período de desmaio pode ser fatal. Cada trabalhador deve transportar seu próprio suprimento de oxigênio e ser submetidos a exames médicos várias vezes ao dia com a enfermeira do local. A alta altitude também traz condições climáticas extremas - à noite, as temperaturas são tão baixas que os aquecedores devem ser usados para impedir que os fluidos congelem como no último inverno, fortes nevascas fecharam o projeto por seis semanas.

Em janeiro, a Movitec tomou posse de uma Epiroc PowerROC T25 DC para ajudá-los a lidar com a difícil geologia da montanha.

PowerROC T25 DC no norte do Chile

Qual a função da PowerROC T25 DC no projeto?

"Encontramos muitas rochas grandes que precisamos remover. No entanto, não podemos usar explosivos porque estamos dentro de uma área astronômica e a detonação afetaria a operação dos 66 telescópios do Atacama Large Millimeter Array (ALMA), que ficam a menos de dez quilômetros de distância. Então, usamos a tecnologia de detonação de plasma. A PowerROC faz um furo de 51 milímetros até dois metros na rocha e, em seguida, a água é injetada no furo. Quando uma carga elétrica pulsada é aplicada, a rocha é estilhaçada em pedaços minúsculos."

 

Qual foi a sua experiência com a PowerROC?

"A máquina está operando na montanha há cerca de dois meses. Funcionou muito bem, melhor do que esperávamos, por isso estamos muito satisfeitos com a funcionalidade que o equipamento exibiu no projeto. À noite, as temperaturas podem cair de quinze a vinte graus Celsius abaixo do congelamento, o que pode causar congelamento dos combustíveis e fluidos hidráulicos e dificultar muito a partida do equipamento pela manhã. No entanto, com a PowerROC, não tivemos absolutamente nenhum problema com o congelamento de fluidos ou com a partida de manhã. Nem perdeu pressão ao trabalhar em altitude."

 

Há algo que você gostaria de melhorar?

"Talvez o braço possa ser mais longo ou mais flexível, o que ajudaria no terreno complicado encontrado na montanha."

[No local: Chile]

A estrada para o Tokyo Atacama Observatory, a ser construída na Montanha Chajnantor, norte do Chile, deverá ser larga e lisa o suficiente para transportar um espelho sem defeitos, tendo sete metros de diâmetro.

PowerROC T25 DC

Benefícios principais:

  • Excelentes taxas de potência e penetração
  • Controle hidráulico direto e simples
  • Excelente capacidade de manobra, mesmo em terrenos acidentados
  • Peças elétricas minimizadas para maior confiabilidade

Método de perfuração: Martelo de superfície
Diâmetro do furo: 51 mm a 89 mm
Profundidade máxima do furo: 18,3 metros

International Engenharia civil PowerROC T25 DC Divisão de Perfuração de Exploração e a Céu Aberto Relato de cliente 2020